Sistema de Observação e Monitoramento da Amazônia Indígena

Informação científica para ajudar os povos indígenas na adaptação aos impactos da mudança do clima.

O que é

O que é

Plataforma online com dados científicos sobre as Terras Indígenas da Amazônia brasileira, que busca mostrar a importância destes territórios para ações de mitigação das mudanças climáticas e manutenção do equilíbrio ambiental regional.

Conheça a iniciativa

Para quem

Para quem

O SOMAI foi desenvolvido para o empoderamento indígena nas questões climáticas, levando-se em conta os impactos climáticos sobre suas terras. É uma ferramenta para povos indígenas, gestores e instituições que trabalham com o tema.

Busque territórios indígenas

Como funciona

Como funciona

A ferramenta permite a produção instantânea de mapas e relatórios que são rica fonte de informação sobre as Terras Indígenas. O SOMAI possui também uma calculadora de ameaças para combinar dados e calcular quais as terras mais vulneráveis.

Veja os mapas e dados

Objetivos

O objetivo do Sistema de Observação e Monitoramento da Amazônia Indígena – SOMAI – é fornecer informações que apoiem a gestão territorial e ambiental de Terras Indígenas da Amazônia brasileira e ações de adaptação às mudanças do clima.

Com o uso de software livre, a plataforma contém dados científicos tanto das alterações climáticas que já ocorreram, como de possíveis cenários futuros. Os dados reunidos mostram informações sobre: desmatamento, uso do solo, vegetação, hidrografia, infraestrutura, estoque de carbono, além das previsões futuras de variação de temperatura, de chuva e da biodiversidade.

Os dados serão atualizados de acordo com a disponibilização de novas informações e, no futuro, pretende-se inserir dados coletados pelos próprios indígenas, aumentando a interatividade da plataforma.

Dados e fontes

O SOMAI utiliza fontes oficiais para seus dados, além de buscar sempre as fontes mais atualizadas para as informações apresentadas.

Dado Fonte
Terras indígenas FUNAI 2017
Limites de Estados IBGE
Sub-bacias ANA (Agência Nacional de Águas)
Uso do solo Projeto TerraClass - INPE (Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais)
Rodovias DNIT (Departamento Nacional de Infraestrutura de Transportes)
Unidades de conservação ICMBio (Instituto Chico Mendes - MMA)
Biomas MMA (Ministério do Meio Ambiente)
Hidrelétricas ANEEL (Agência Nacional de Energia Elétrica)
Reservatórios ANEEL (Agência Nacional de Energia Elétrica)
Linhas de transmissão ANEEL (Agência Nacional de Energia Elétrica)
Portos DNIT (Departamento Nacional de Infraestrutura de Transporte)
Polos madeireiros Imazon - Instituto do Homem e Meio Ambiente da Amazônia
Tipos de vegetação IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística)
Tipos de solo EMBRAPA
Rios Principais IBGE
Sedes Municipais IBGE
Mineração DNPM (Departamento Nacional de Produção Mineral)
Desmatamento INPE/PRODES (Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais)
Chuva TRMM (Tropical Rainfall Measuring Mission)
Temperatura MODIS, imagens MOD09Q1
Frequência de seca SPEI Global Drought Monitor
Anomalias de seca TRMM (Tropical Rainfall Measuring Mission)
Estoque de carbono Baccini A, Goetz SJ, Walker WS, et al., 2012. Estimated carbon dioxide emissions from tropical deforestation improved by carbon-density maps. Nature Climate Change, 2(3):182–185.
Focos de calor INPE (Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais)

Parceiros

Realização

  • IPAM

Colaboração

  • FUNAI
  • Coordenação das Organizações Indígenas da Amazônia Brasileira
  • Articulação dos Povos Indígenas do Brasil (APIB)

Apoio

  • Embaixada da Noruega
  • USAID

Fale Conosco

Entre em contato pelo email somai@ipam.org.br.